Enquanto o Menino chorava

Enquanto o Menino chorava
porque o cãozinho tinha ido embora
para nunca mais voltar, nenhuma pessoa
parava na rua para conversar com ele;
o prédio em construção continuava em construção
os carros avançavam o semáforo
o vendedor anunciava os produtos
na novela as personagens se beijavam
enquanto o Menino chorava.

Montanhas

São duas montanhas grossas, únicas, cujas bases mais finas terminam em um vale banhado por uma água azul e clarinha. Essas montanhas têm características especiais porque apesar de serem montanhas a sua superfície não é dura. Pelo contrário, ela é macia ao toque. Quem se deita sobre elas não quer sair dali porque é atraído por uma espécie de prazer difícil de ser explicado. Outro ponto maravilhoso dessas montanhas são os desenhos que foram feitos ali sabe-se lá por quem. Em uma delas parece haver uma flor (há mais do que apenas uma flor, porém o restante foi feito em um lugar de difícil acesso) e na outra há formas e cores variadas. Por essas montanhas não se passa sem consequências. O detalhe curioso e mais especial do que a suavidade da superfície ou os desenhos misteriosos, entretanto, são as quatro gotinhas próximas ao topo que formam um quadrado e que jamais secam. São quatro gotinhas d’água que insistem em permanecer ali, não importa o calor, a temperatura ou a quantidade de chuva que cai sobre as montanhas. Para além dessas gotinhas, não é possível ver o que existe. Mas eu sei que um dia alguém vai descobrir o que existe no topo daquelas duas montanhas.

Tal

Devo ter herdado também a melancolia do meu pai, que ao se despedir sempre tinha um olhar triste – não sei se como quem pede desculpas por tudo que fez ou como se aquela fosse a última vez que nos víamos. Não me lembro de como foi realmente a última vez que nos vimos, mas sou capaz de apostar que o olhar era o mesmo.

– do “Diário”