Mate

Quando vou dormir percebo que faltam
ainda.
E é tanto.
Mas parece que abandonei os campos há tempos
– por invalidez ou embriaguez?
Assim vejo que não está pronto.

No meu sonho um elevador nos ergue
e a consumação se dá por
uma vontade mútua, natural.
A realidade é quase isso também…
Então por quê?

É como se me empurrassem para o abismo
aonde quero ir.